O Nosso Encontro com Dona Lisa

hufan Africa, De Joanesburgo A Bilibiza, Moçambique, Moçambique 2015, Não categorizado, Viagens Leave a Comment

Depois de ficar bastante decepcionados com o que vimos na Cabeceira Grande, finalmente a gente conseguiu encontrar com Dona Lisa. Ela chega com sua enteada e sentamos juntos no terraço desta pequena pousada que tem o bonito nome de “Sunset Boulevard”. Vamos nos apresentar e logo a gente começa a falar sob a razão por que chegou aqui, nossos planos para o futuro aqui em Moçambique e sobre a nossa viagem até agora.
Dona Lisa nos diz que ela vendeu o Colégio e agora está tentando abrir uma escola aqui em Mussoril. Ela diz que ainda tem um projeto com um grupo de mulheres da cidade chamada Sol e consiste em produzir o sabão ecológico da planta de Jojoba. Também esta tentar encontrar patrocinadores para crianças albinas, porque elas tem muitas desvantagens em Africa, especialmente nas áreas rurais por causa da superstição e falta de educação.
Em algum momento ela nos pergunta “não querem ser padrinhos? Com apenas dez euros por mês, vocês podem mudar a vida de uma criança. Eu posso enviar as informações de conta então.” Hudie novamente se sente tocado por toda esta miséria e começa a pensar em ajudar desta forma. Mas como eu não vejo o que realmente acontece com o dinheiro que investimos então não posso apoiar isto.
Mais tarde Dona Lisa diz um pouco sobre sua enteada que também adora Moçambique e quer morar aqui no futuro. Diz-nos que Moçambique, bem como a Venezuela, também recebe ajuda de médicos cubanos, mas também existem alguns médicos que Coreia do Norte aqui. Os médicos coreanos aparentemente, são muito bons e Dona Lisa tem em alta estima, porque eles ajudaram na recuperação de sua enteada quando ela teve um acidente no trânsito e quebrou as pernas. Ela aconselhou-nos nunca sentar na frente da chapa, mesmo se parece mais confortável e se o motorista insiste nos convidar. Ela ressaltou que esse lugar é realmente o lugar mais perigoso em uma chapa.
E então a conversa vira-se para nos dar dicas sobre como comprar um imóvel aqui em Moçambique. Nos diz: “a propriedade aqui não é propriedade, mas somente locação por 100 anos”. Parece um pouco como na China. “E qualquer coisa que você tem que vir com um plano detalhado sobre o motivo e a razão pela qual a terra será usada. E então como  estrangeiro você tem 3 anos para fazer esses planos realidade. As pessoas locais têm 5 anos. Se você registrar aqui um negócio também terá um período de 5 anos”.
Ela continua a dar-nos informações por um tempo. Ouvimos o alerta porque a verdade é muito útil ter este tipo de conhecimento para o futuro; acima de tudo quando dentro os próximos cinco anos  começar nossa mudança para Moçambique.
Depois de um tempo, achamos que a Dona Lisa evita falar sobre o que aconteceu na Cabaceira Grande e o projeto de desenvolvimento: o Colégio.
De repente diz: “O.k, eu tenho que ir embora, mas como vocês viverão aqui no futuro só tem que pagar na Pousada o preço dado para as pessoas locais que é normalmente e a metade.” Ela gentilmente deixa seu e-mail no caso de encontrar um patrocinador para uma criança, podamos enviar as informações do banco. E foi isso.
Parecia muito estranho para nós, mas não sentimos capazes de continuar a insistir nas questões sobre o Colégio e Cabeceira Grande, porque nós pensamos que era óbvio que ele não quer discutir o assunto. Deixa a impressão de que algo saiu muito errado aí.
Agora, só esperamos conseguir algum estímulo para iniciar o nosso próprio projeto aqui no futuro, mas nós temos que aceitar que mesmo um projeto conforme descrito em “Mozambique Mysteries” não é mas que um sonho… e temos que ser muito consistentes se quiser ver nossos esforços para tornar-se realidades neste país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *