A Porta a Ilha de Moçambique

hufan Africa, De Joanesburgo A Bilibiza, Moçambique, Moçambique 2015, Não categorizado, Viagens Leave a Comment

O carro já está reparado e já andamos de novo. Ismael dirige rápido mesmo como os outros veículos que passam por esta rua tao estreita. Nos assusta um pouco, porque vemos que muitas pessoas camiham aos lados da rua, é perigoso que as eles saltam em direção o campo em quanto olham que o caminhão já esta muito perto deles.
Paramos um pouco para comprar peixe no mercado ao lado da ponte antes de atravessar a ilha. Agora atravessamos a ponte que tem cerca de 3,8 km de comprimento e tem apenas uma pista. Na pequena ilha de Moçambique moram pouco mais de 14.000 pessoas, ou um terço deles têm carro, mas o tráfego ainda congestiona o ponte. Por esta razão existem guardas em ambas as extremidades para controlar o os carros que quer atravessar de um lado para o outro e que não monopolizam a ponte.
Atravessamos sem complicações e em breve chegamos à casa de Ismael. É uma casa grande, antiga de estilo colonial. Diz-nos que por décadas foi a uma loja e pertencia aos comerciantes hindus.
Lucas, o cara que cuida da casa e faz o de doméstico também, abre a porta e carregar nossa bagagem para um dos três quartos disponíveis. A casa é grande e está bem equipaCIMG1109da para viver bem e entreter; mas como não há nenhum gerador, nada funciona no momento. Até mesmo o ar condicionado! É uma pena, porque realmente o calor e a umidade da ilha me fazem querer me refrescar.
Depois da nossa bagagem, vamos com Dinho e Ismael para jantar num dos restaurantes locais. Dizem-nos que é econômico, então felizmente aproveitamos a oportunidade para convidá-los por sua companhia y amizade.
A comida é deliciosa e curtimos da noite. Em breve a moça nos traze a conta e somos surpreendidos! Ilha de Moçambique seguro não é o lugar mas econômico do país.

 

CIMG1110

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *